Governo do Distrito Federal
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
14/10/22 às 11h50 - Atualizado em 14/10/22 às 11h54

96 novos PECs criados para o lazer da população

Governo investiu R$ 3,14 milhões na construção de pontos de encontro comunitários nos últimos três anos. Novo contrato prevê mais 350 nos próximos anos

Rafael Secunho, da Agência Brasília | Edição: Claudio Fernandes

Aquele local de encontro para uma boa prosa ou um lugar de exercícios para quem não curte academia. Essas são características dos pontos de encontro comunitários (PECs), figurinhas fáceis por todo o Distrito Federal. De 2019 para cá, o GDF investiu R$ 3,14 milhões nesses equipamentos e instalou 96 novos PECs em mais de uma dúzia de regiões administrativas.

Foto: Joel Rodrigues / Agência Brasília
Cada PEC é equipado com dez aparelhos de ginástica, pergolado, bancos, duas lixeiras, além de paisagismo no local, como o plantio de grama | Fotos: Joel Rodrigues/Agência Brasília

E vem mais por aí. Segundo a Novacap, responsável pela obra e instalação do conjunto de aparelhos, há no momento uma licitação em andamento para que mais 350 pontos de encontro sejam entregues à população. O contrato prevê a substituição de peças de PECs danificados ou a implementação de novos nos próximos anos. Atualmente, a companhia calcula que existam cerca de 700 em todo o DF.

Encontro das amigas

No Cruzeiro Velho, há dois PECs próximo à Feira Permanente. Os espaços são apreciados pelas amigas Joselita Santos, 79 anos, e Luiza Pereira, 85, ambas pensionistas. Já gostaram de se exercitar ali, mas hoje o encontro do fim de tarde é em frente ao equipamento. “É muito legal. Quando meu marido era vivo, fazíamos ginástica todo dia aqui. Agora, gosto de sentar no banquinho e descansar após caminhar pelo bairro”, conta Joselita. “Aqui no Cruzeiro, os idosos usam muito. Eu gosto daquele aparelho que giramos com os braços”, diz Luiza.

As amigas Joselita Santos, 79 anos, e Luiza Pereira, 85, se encontram em frente a um PEC no Cruzeiro Velho para conversar no fim de tarde

A chegada de um PEC até as cidades normalmente é um pedido dos moradores via administração regional. “A administração recebe pela ouvidoria e aponta um possível local de instalação do equipamento. Temos equipes de vistoria que vão até o local e verificam se cumpre todos os requisitos”, observa a engenheira da Diretoria de Edificações (DE) da Novacap, Lorrayne de Souza.

Cada espaço de convivência é equipado com dez aparelhos de ginástica, pergolado, bancos, duas lixeiras, além de paisagismo no local, como o plantio de grama. Uma base de concreto precede a instalação do equipamento e o custo médio do conjunto é de R$ 32 mil. A área do PEC não pode interferir em redes da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) ou da Companhia Energética de Brasília (CEB).

Segundo o técnico da Novacap e responsável pela instalação dos conjuntos, Ronaldo Vinhal, a demanda é grande por esses ‘quadradinhos de lazer’. “Temos mais de 500 pedidos de instalação ou manutenção de PECs por todo o DF. Moradores que querem um perto de suas casas, ou em frente ao prédio”, diz. Todavia, existe uma determinação da Secretaria de Desenvolvimento Urbano para que eles sejam colocados num raio de 500 metros de distância entre eles. É importante dar uma caminhada também para chegar até eles”, sugere.

Novos pontos de encontro comunitários (PECs) instalados por todo o DF

→ 2019: 28
→ 2020: 26
→ 2021: 28
→ 2022: 14 (até agosto)
→ Total: 96
→ Investimento: R$ 3,14 milhões

PECs instalados em 2022

→ Plano Piloto: 3
→ Planaltina: 2
→ Sudoeste: 2
→ Paranoá: 2
→ Taguatinga: 1
→ Gama: 1
→ Sobradinho: 2
→ Jardim Botânico: 1
→ Total: 14

Fonte: Novacap