Governo do Distrito Federal
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
6/11/23 às 15h02 - Atualizado em 6/11/23 às 15h02

Brasília é segunda cidade brasileira a contar com oferta de stopover

Serviço oferecido por companhias aéreas em parceria com o GDF e Inframerica permite desembarque de passageiros por até três dias para fazer turismo na capital da República

Thaís Miranda, da Agência Brasília | Edição: Saulo Moreno

 

Está sabendo da supernovidade? Brasília agora é ponto de parada sem custo adicional das companhias aéreas Gol e Latam. Depois de mais de um ano de tratativas entre Governo do Distrito Federal (GDF), empresas e a Inframerica, concessionária do Aeroporto de Brasília, a capital se tornou a segunda cidade brasileira a contar com o serviço de stopover. É como se fosse um “leve 2, pague 1”. Os clientes que fizerem viagens nacionais ou internacionais com conexão na capital federal podem optar por desembarcar gratuitamente, por até três dias, para conhecer o quadradinho e, depois, seguir viagem para o destino final. Até agora, o serviço estava disponível apenas em São Paulo.

Para conquistar o serviço de stopover das companhias aéreas, o GDF precisou provar estar apto, em todas as esferas, a acolher os turistas que decidirem fazer uma parada mais longa no DF. “Esse é um trabalho que não foi da noite para o dia. É algo de médio a longo prazo e de muito convencimento junto às empresas de transporte aéreo. Para que elas aceitassem a proposta, precisamos mostrar que somos uma cidade bem estruturada para receber os turistas, que temos uma rede organizada de hotelaria e bons pontos turísticos e de lazer para quem decidir conhecer a cidade”, afirmou o secretário de Turismo do DF, Cristiano Araújo.

Depois de mais de um ano de tratativas entre Governo do Distrito Federal (GDF), empresas e a Inframerica, concessionária do Aeroporto de Brasília, a capital se tornou a segunda cidade brasileira a contar com o serviço de stopover | Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

Segurança pública e cidade acessível para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida também foram pontos avaliados pelas companhias para aceitarem a proposta de incluir Brasília no serviço de stopover. Além disso, o Aeroporto Internacional de Brasília é um dos hubs (centros de conexão de voos) mais importantes do país, único terminal brasileiro com voos para os 26 estados e duas pistas operando simultaneamente, conectando milhões de passageiros a destinos nacionais e internacionais – competitividade incentivada pela redução de 12% para 7%, determinada pelo GDF, no ICMS incidente sobre o querosene de aviação (QAV).

Atualmente, a Gol opera voos de Brasília para 29 destinos, sendo dois internacionais para a Flórida, nos EUA (Orlando e Miami). Em outubro, entre pousos e decolagens, a companhia aérea teve média de 102 voos diários em Brasília. Já a Latam opera 34 rotas com conexão local, sendo 25 dessas em capitais brasileiras.

Os clientes que voarem pela Gol podem solicitar o stopover em Brasília no próprio site da companhia, no ato da pesquisa de voos. Já no site da Latam, a contratação do serviço é feita somente pela assistente virtual do WhatsApp (+56 9 6825 0850). Para adquirir o stopover, é necessário que a permanência mínima seja de 12 horas.

Para aceitarem a proposta do serviço de stopover, as companhias levaram em conta características de Brasília, como segurança pública e acessibilidade para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida | Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

Novo destino internacional

Cidade moderna que sedia o centro político do país, resultado de um projeto urbanístico criado por Lucio Costa e com os marcantes traços de Oscar Niemeyer, Brasília tem se tornado um destino cada vez mais procurado não só por turistas locais, mas pelos internacionais.

De acordo com dados divulgados pelo Ministério do Turismo, de janeiro a setembro deste ano, chegaram a Brasília 35.418 turistas de fora do país, sendo 12.771 da América do Norte (36,06%) e 10.449 da Europa (29,5%). Este número é 89,76% maior que o registrado no mesmo período do ano passado, quando houve um total de 18.665 turistas internacionais.

“A gente recebe essa notícia com muita felicidade, porque é exatamente o que nós buscamos com o trabalho diário. Nós queremos aumentar o fluxo de turistas estrangeiros aqui no DF. Esse índice nos mostra que devemos ter ainda mais responsabilidade na capacitação das pessoas dos nossos receptivos e cuidar do nosso trade turístico e dos hotéis disponíveis na capital”, afirmou o secretário de Turismo.

CAT

Para acolher essa gama de turistas e visitantes, o GDF investe cada vez mais no turismo e nos centros de atendimento ao turista (CATs), que é a porta de entrada para receber e dar informações sobre os pontos turísticos da cidade.

Somente na região central da capital federal existem cinco pontos de apoio, sendo quatro fixos (Aeroporto, Esplanada dos Ministérios, Rodoviária Interestadual e Superquadra 308 da Asa Sul) e um móvel, na Torre de TV. O ponto móvel da Torre funciona de sexta a domingo, em todos os fins de semanas e feriados.

Nos centros de atendimento, os visitantes encontram todo o apoio de que precisam e recebem gratuitamente informações sobre os produtos e serviços turísticos no DF e Entorno, como mapas, guias turísticos e materiais promocionais, distribuídos individualmente. Todos os pontos contam com atendentes bilíngues, e o material distribuído ao turista também é traduzido para o inglês.

O que fazer na capital federal

A coleção Rotas Brasília, disponível para os viajantes nos CATs e no site da Secretaria de Turismo do DF (Setur), reúne 13 rotas turísticas, organizadas por segmentos que mostram que a capital vai muito além da política, apresentando as atrações e espaços para visitação que atraem pessoas de todos os gostos e todos os bolsos.

Investimentos

A Setur programa investir mais de R$ 20 milhões no setor ainda neste ano. A expectativa é que esse recurso seja utilizado em projetos de capacitação e de captação de eventos. Com o investimento, Brasília também ganhou uma nova unidade do CAT, na região do Pontão do Lago Sul.