Governo do Distrito Federal
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
16/05/24 às 14h43 - Atualizado em 16/05/24 às 14h43

GDF estuda usar pavimento em concreto com fibras sintéticas

O piso já vem sendo utilizado em algumas cidades brasileiras das regiões Sul e Sudeste e está sendo avaliado para o Trecho 6 da Epig

Por Agência Brasília* | Edição: Ígor Silveira

Com a proposta de dar mais qualidade à estrutura e acelerar a conclusão do projeto do Trecho 6 da Estrada Parque Indústrias Gráficas (Epig), o Governo do Distrito Federal (GDF) estuda utilizar pavimento em concreto com fibras sintéticas. O método construtivo foi apresentado à Secretaria de Obras e Infraestrutura (SODF) na quarta-feira (15).

 

Uma característica importante desse tipo de concreto é o prazo de cura reduzido, o que acaba por conferir mais agilidade à execução dos serviços | Foto: Lúcio Bernardo Jr./Agência Brasília

 

Segundo a Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP) e a empresa Concrefiber, responsáveis pela apresentação, o uso do pavimento em concreto com fibras sintéticas é comum nos Estados Unidos e na Europa desde os anos 1970. No Brasil, esse tipo de pavimento já é utilizado em algumas cidades de São Paulo e do Rio Grande do Sul.

“Os resultados obtidos nas cidades brasileiras que já usam esse tipo de pavimento com fibras parecem promissores. Acredito que esse tipo de concreto, se usado da forma adequada, pode substituir o asfalto em vias importantes e movimentadas da cidade”, avalia o secretário de Obras e Infraestrutura, Valter Casimiro.

Vantagens

Representante da Concrefiber, Sandro Ferreira explica que as fibras sintéticas são utilizadas em estruturas de concreto como reforço secundário. “O objetivo é aumentar a resistência do concreto, tornando-o mais dúctil”, completa.

 

O método construtivo de concreto sintético foi apresentado à Secretaria de Obras e Infraestrutura (SODF) na quarta-feira (15) | Foto: Divulgação/SODF

 

Outra característica importante desse tipo de concreto é o prazo de cura reduzido, o que acaba por conferir mais agilidade à execução dos serviços. Isso porque as fibras criam pontes de transferência e aderência, melhorando a estrutura interna do concreto.

“Essa característica faz com que a transferência das cargas seja mais bem distribuída no conjunto todo do concreto, reduzindo significativamente a incidência de rachaduras no pavimento”, esclarece Ferreira.

A obra

A requalificação completa da Epig prevê a troca de todo o asfalto dos dois sentidos da via por pavimento em concreto, que é mais duradouro, resistente e de fácil manutenção. O sexto trecho da obra, situado na pista que passa ao lado do Tribunal de Justiça (TJDFT) e do Ministério Público do Distrito Federal (MPDFT), conta com a duplicação da via e a implantação de estacionamentos públicos, entre outros serviços.

O tipo de licitação usado para a contratação da empresa que executa as obras é o Regime Diferenciado de Contratação e Inovação (RDCI), que permite alterações no projeto, especialmente quando se trata da implementação de recursos considerados inovadores.

*Com informações da Secretaria de Obras e Infraestrutura (SODF)