Governo do Distrito Federal
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
27/09/23 às 9h50 - Atualizado em 27/09/23 às 9h50

Planetário de Brasília recebe seminário sobre promoção da saúde mental

Debate sobre a saúde mental de crianças, adolescentes e jovens foi um dos pontos centrais do evento

Agência Brasília* | Edição: Carolina Lobo

A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Distrito Federal (Secti-DF) realizou o seminário Toda vida importa, no Planetário de Brasília, nessa segunda-feira (25). O objetivo foi debater sobre a prevenção ao suicídio e lançar uma ação pedagógica sobre a saúde mental de crianças, adolescentes e jovens.

Na ocasião, o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Gustavo Amaral, destacou que a conscientização é fundamental para a promoção do diálogo e do acolhimento. “A prevenção ao suicídio é uma responsabilidade de toda a sociedade. É fundamental que estejamos sempre atentos aos sinais de alerta que colegas, amigos e familiares podem apresentar”, afirmou.

Secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Gustavo Amaral: “A prevenção ao suicídio é uma responsabilidade de toda a sociedade. É fundamental que estejamos sempre atentos aos sinais de alerta que colegas, amigos e familiares podem apresentar” | Foto: Divulgação/Secti-DF

De acordo com o psicólogo Paulo Lira, é preciso ter um olhar multidimensional para a questão da saúde mental. “A formulação de políticas públicas que visem à promoção da saúde mental deve considerar todos os aspectos da vida do indivíduo, bem como a vida financeira, os relacionamentos afetivos e familiares, bem como outros tipos de necessidades internas e externas”, frisou.

O evento contou ainda com a uma palestra sobre crimes cibernéticos e os impactos na saúde mental de crianças e adolescentes, proferida pela agente Mayara Sisterolli, da Delegacia de Repressão aos Crimes Cibernéticos da Polícia Civil do Distrito Federal (DRCC/PCDF). A agente ressaltou a importância dos pais e responsáveis construírem uma relação de confiança com os filhos e os cuidados necessários para que as crianças e adolescentes não sejam vítimas de golpes virtuais.

“Mais de 80% dos pais não sabem com quem seus filhos conversam ou o que fazem nas plataformas digitais. É fundamental que essas interações sejam acompanhadas, de perto, e que, com base no diálogo, as crianças e adolescentes conheçam os riscos e as principais características dos golpes virtuais”, afirmou Sisterolli.

A iniciativa ocorreu em alusão ao Setembro Amarelo, uma campanha brasileira de prevenção ao suicídio, iniciada em 2015.

*Com informações da Secti-DF