Governo do Distrito Federal
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
15/05/23 às 15h26 - Atualizado em 15/05/23 às 15h26

Qualificação profissional na porta de casa abre chances a quem mais precisa

Lógica do programa QualificaDF Móvel, que formou nesta segunda (15) cerca de 800 alunos, é atender de forma itinerante pessoas em situação de vulnerabilidade com a mesma qualidade dos cursos em espaços físicos

Ian Ferraz, da Agência Brasília | Edição: Claudio Fernandes

Ir até a cidade onde o cidadão mora e qualificá-lo para uma profissão em alta e com vagas disponíveis é o grande diferencial do QualificaDF Móvel, programa responsável por formar cerca de 800 alunos em sua quarta etapa, nesta segunda-feira (15), na Praça da Bíblia, em Ceilândia.

 

Cerca de 800 alunos se formaram na quarta etapa do programa, nesta segunda (15), em Ceilândia | Foto: Renato Alves/Agência Brasília

O evento reuniu centenas de alunos, agora profissionais capacitados nas áreas onde o mercado de trabalho mais tem buscado trabalhadores. Ao percorrer as cidades com carretas/salas de aula, o Governo do Distrito Federal (GDF) se aproxima da população e amplia o horizonte de oportunidades.

A fórmula de sucesso do programa é justamente o fato de os cursos serem planejados de acordo com a característica de empregabilidade de cada região administrativa na qual a unidade atende. O projeto foi montado para atender os locais mais remotos, onde o aluno pode enfrentar dificuldade para ir a uma sala de aula.

É o caso da técnica em mecânica industrial Izabel Fabrícia, 48 anos. Em busca de aprendizagem, ela fez o curso de manutenção de aparelhos celulares e recebeu o certificado. Moradora de Sobradinho II, ela agora espera construir o próprio negócio com as novas habilidades.

“O programa reforça essa ideia de proximidade; como sou ali da região, me senti em casa. Fiz o curso, foi muito bom, os professores são atenciosos. Busquei algo que fosse próximo da minha área e agora espero poder trabalhar em casa e abrir meu negócio”, explica Izabel.

Nesta etapa do programa, os alunos foram treinados em áreas como auxiliar administrativo, administração de serviços hospitalares, auxiliar de recursos humanos, atendente de call center, design gráfico, atendente de farmácia, montagem e manutenção de computadores e atendente de pet shop, entre outras.

Gerenciado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda do Distrito Federal (Sedet), o programa prioriza a população negra, mulheres, jovens, pessoas com deficiência, migrantes e demais minorias, e dá preferência às pessoas em situação de vulnerabilidade e residentes das cidades onde as unidades móveis atuam.

“O perfil dos desempregados no DF é de jovens que saem do ensino médio e ainda não tiveram oportunidade e também mulheres negras, de 18 a 29 anos, chefes de família e que têm de um a dois filhos. Com essa pesquisa, o governo tem trabalhado para alcançar essas pessoas, dando qualificação profissional e permitindo às empresas, na hora de ofertarem uma vaga, terem à disposição um profissional que se encaixe na vaga”, detalha o titular da Sedet, Thales Mendes.

Como participar

Para concorrer às vagas, o candidato deve ser brasileiro nato ou naturalizado ou estrangeiro em situação regular no país, ser maior de 16 anos, beneficiário do seguro desemprego, desempregado, trabalhador informal ou cidadão idoso de até 70 anos.

As aulas são ministradas nos turnos matutino e vespertino, com o total de 80 horas. As carretas têm capacidade para atender até 220 pessoas, em cinco cursos simultâneos, com cerca de 24 vagas para cada turma do turno matutino e 24 vagas para as do vespertino.

Quando abertas, as inscrições podem ser feitas pelo site da Sedet ou presencialmente em uma das 14 agências do trabalhador.

Quem necessita de auxílio para o preenchimento do formulário eletrônico pode ir até uma das 14 agências de atendimento ao trabalhador, de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h, e sábado, das 8h às 12h.