Governo do Distrito Federal
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
8/01/24 às 9h41 - Atualizado em 8/01/24 às 9h42

Reajuste valoriza atuação de mais de 8,5 mil servidores da Educação

Voltada a quem trabalha na Política Pública e Gestão Educacional (antiga carreira de Assistência, da qual também serão beneficiados mais de 13,1 mil aposentados), medida abrange profissionais que cuidam de matrículas, folha de pagamento, merenda e apoio psicológico

Ian Ferraz, da Agência Brasília | Edição: Vinicius Nader

 

 

Essenciais para o funcionamento da rede pública de ensino, os servidores da carreira de Política Pública e Gestão Educacional (PPGE), antiga Assistência à Educação, foram beneficiados com um reajuste importante nos vencimentos. O Governo do Distrito Federal (GDF) atendeu, em 2023, pleito dos profissionais e aumentou em 30% a Gratificação de Incentivo à Carreira (GIC), que passou de 40% para 70%, sendo paga gradativamente a cada semestre a partir de abril deste ano.

A medida beneficia 21,6 mil profissionais, sendo 8,5 mil ativos e 13,1 mil aposentados. O trabalho dessa carreira é considerado crucial dentro da Secretaria de Educação (SEE-DF), uma vez que eles lidam com a preparação da folha de pagamento, uma das maiores do GDF; com planejamento de merenda e transporte; cuidam da documentação dos quase 500 mil estudantes e servidores; além do importante apoio educacional prestado por monitores e psicólogos aos estudantes com algum tipo de necessidade especial.

A carreira de Política Pública de Gestão Educacional lida com uma das maiores folhas de pagamento do GDF, entre outras atribuições | Foto: Tony Oliveira/Agência Brasília

Os monitores, por exemplo, são responsáveis por cuidar de 28 mil alunos com algum tipo de deficiência. Já os secretários atuam com dados e matrículas dos estudantes, enquanto os técnicos são alocados em áreas administrativas nas regionais de ensino. O DF dispõe de quase 700 escolas, distribuídas nas 14 coordenações regionais de ensino, onde os PPGEs também estão alocados.

“De fato, a educação não se faz apenas com professores. Todos nós somos educadores. As formas de valorização dos servidores passam pelo reconhecimento financeiro e pela atualização de atribuições e nomenclaturas, considerando o avanço tecnológico e o amadurecimento da carreira”, pontua a subsecretária de Gestão de Pessoas da SEE-DF, Ana Paula Aguiar, ao comemorar a sanção da lei que alterou a gratificação.

A categoria nasceu em 1989 e é composta por monitores de gestão educacional, secretários escolares e gestores de habilitações como psicologia, nutrição, biblioteconomia e administração.

Outra medida da atual gestão foi ter feito a maior nomeação da história para a carreira. Em março de 2023, quase 3 mil servidores passaram a integrar o quadro da secretaria. Na ocasião foram nomeados 1.861 monitores de gestão educacional, 600 secretários escolares, 400 de apoio administrativo, dois de arquivologia, dois de comunicação social e dois de direito e legislação. “Foi a maior nomeação num único ano, demonstrando a importância crescente desses servidores”, acrescenta Ana Paula Aguiar. Depois dessa nomeação, a categoria ganhou mais 500 monitores, 100 servidores da carreira de apoio e mais 100 secretários.