Governo do Distrito Federal
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
10/05/23 às 11h54 - Atualizado em 10/05/23 às 11h55

Taguatinga vai ganhar creche para atender 188 crianças em tempo integral

Com investimento de R$ 5,4 milhões, estrutura terá dez salas de aula, sala para professores, refeitório, parquinho e outros espaços; perspectiva é de gerar 50 empregos

Ian Ferraz, da Agência Brasília I Edição: Débora Cronemberger

O governador Ibaneis Rocha assinou, nesta quarta-feira (10), a ordem de serviço para construção da primeira creche do Governo do Distrito Federal (GDF) em Taguatinga. A estrutura terá investimento de R$ 5,4 milhões e será erguida na QNJ 56, Área Especial 18, em Taguatinga Norte.

De acordo com a Coordenação Regional de Ensino de Taguatinga, a cidade não conta hoje com nenhuma unidade do Centro de Educação da Primeira Infância (Cepi). Há, no entanto, Cepis vinculados à Secretaria de Educação, (SEE) no Areal e em Águas Claras, por exemplo.

O governador Ibaneis Rocha assinou, nesta quarta (10), a ordem de serviço para construção da primeira creche do GDF em Taguatinga, que terá investimento de R$ 5,4 milhões | Foto: Renato Alves/Agência Brasília

Dessa forma, o primeiro Cepi a ser construído em Taguatinga Norte vai reduzir a demanda na cidade por vagas de ensino infantil, o grande gargalo da educação no DF. Com atendimento a 188 alunos em tempo integral, será possível reduzir a falta de vagas em cerca de 50%.

“Taguatinga merece todo o nosso carinho e nossa atenção, por isso temos buscado fazer um investimento seguro na região. A obra do Túnel de Taguatinga está próxima de ser entregue; temos a reforma da Avenida Hélio Prates, que está na sua segunda etapa, e sabemos da necessidade de renovação dessas que são as cidades mais habitadas e que têm um comércio muito forte”, destaca o governador Ibaneis Rocha.

A creche será construída no mesmo terreno de outras quatro escolas de Taguatinga Norte, formando um complexo educacional ao lado do Centro de Educação Infantil 10, do Centro de Ensino Especial 01, da Escola Classe 29 e do Centro de Ensino Médio 05.

“Temos essas outras escolas nesse espaço; de uma certa forma, é um grande complexo onde a criança começa no Cepi e vai até o ensino médio. São mais crianças tendo essa possibilidade de ensino. Hoje, a nossa maior demanda é por vagas em creches. Nós temos mais nove para entregar, e atualmente temos 21 escolas em construção”, adiantou a secretária de Educação, Hélvia Paranaguá.

“É a primeira creche de Taguatinga; teremos outras duas, mas essa é a primeira. O governo tem tirado sonhos do papel, como o Túnel de Taguatinga e agora essa creche”, acrescentou o administrador de Taguatinga, Renato Andrade.

A estrutura

O novo espaço terá dez salas de aula, sendo duas salas com fraldário, quatro para alunos de 1 a 3 anos e quatro para alunos de 4 a 6 anos. Também vai dispor de lavanderia, rouparia, copa para funcionários, cozinha, despensa, refeitório, sala de professores, hall de entrada, secretaria, direção, almoxarifado, sala multiúso, pátio coberto, parquinho, estacionamento, playground e banheiros.

Toda a estrutura será erguida em alvenaria e aço leve. A obra, financiada com recursos do GDF e do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), conta com a perspectiva de gerar 50 empregos.

“Em Taguatinga mesmo, não temos nenhum Cepi; este será o primeiro. Temos vinculada à nossa regional uma creche no Areal e uma em Águas Claras, mas, dentro de Taguatinga, nenhuma. Essa creche será importante para suprir a carência e reduzir em cerca de 50% a demanda por vagas”, detalha o coordenador da regional de ensino de Taguatinga, Murilo Marconi Rodrigues. Na regional estão reunidas 67 escolas, que têm cerca de 48 mil alunos e mais de 5 mil professores.

Desde 2019, sete creches foram entregues, quatro estão prontas – duas delas em áreas rurais –, 11 estão em obras e outras 11, em fase de contratação/licitação. Somando as unidades entregues, prontas, em construção e em fase de contratação, serão abertas 5,3 mil vagas, com investimento de R$ 151 milhões. Serão 300 salas de aula a mais para atender os alunos e alunas da rede pública.